segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Amor aos inimigos familiares



Tenho pensado muito estes tempos sobre amor aos inimigos. Muitas vezes temos em mente que amaremos nossos inimigos. Que queremos sim ser como Jesus e cumprir tudo o que Ele ordena, mas se eu não tenho inimigos como poderei provar isso?
Afinal quem será nosso inimigo? É alguem que peleja pela nossa morte? Alguem que combaterá nossos planos para o resto da vida? Pode-se até ter alguém assim na nossa vida, porém é muito raro.
Muitas vezes é tão dificil amar uma pessoa, não porque ela é distante ou desconhecida, mas a maioria das vezes é porque é realmente próxima ao ponto de compartilhar as refeições conosco e viver na mesma casa. Pode ser irmão, pai, mãe, melhores amigos, etc. Eles nos magoaram, fizeram alguma coisa ou mesmo não o fazem por merecer o nosso amor, pois por serem proximos, esperamos coisas deles e somos frustrados. A fidelidade foi quebrada. O amor obscurecido.
Como agir? Como mudar o quadro?
Pense comigo... se ele fosse seu inimigo e você pelo amor a Cristo tivesse que amá-lo, você o faria? Tenho certeza que sim.
Comecei a pensar isso. Pois colocando temporariamente eles na posição de inimigos, você amaria eles sem esperar nada em troca. Se seu pai te feriu, você o amaria sem esperar que ele consertasse ou que mudasse, amaria apenas porque decidiu amar. Se sua mãe te traiu em alguma forma a sua espectativa, ame-a pois Cristo manda e mortifique a sua carne que espera algo em troca. Se seu irmão ou irmã não te ama... ame-a pois assim o brilho de Cristo será mais glorioso.
Mateus 5:44-46 diz:"44 Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; 45 para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo?
"
Ponha essa pessoa um minuto como seu adversário. Veja o mandamento de Jesus fluindo em você e simplesmente você perdoando e amando por simples decisão... não por merecer.
Quer uma dica? Faça algumas coisas dessas como passos:

1- Identifique a ferida e o que você sente falta.
Temos alguma coisa contra a pessoa. Coloque no papel. Escreva por exemplo: meu pai explode comigo, ele me feriu com palavras, ele separou da minha mãe e sinto que ele me abandonou; Minha mãe nunca me deu o carinho que eu precisaria, sempre foi meio fria, não correspondeu muitas vezes à posição dela de amor; Minha(eu) irmã(o)não sabe me amar, já tentei ser compreensivo, ela é folgada, ela sempre é defendida ou se faz de coitada, ela não me ouve, pega minhas coisas, não me respeita;

2- Perdão pelo fato de perdoar.
Se você espera que um dia sentirá vontade de perdoar ou as pessoas mudarão de atitude, desculpe falar mas isso é provavel de nunca acontecer. Algo tem que mudar, então comece com você. Com o mesmo papel de faltas que fizeram contra você escreva sua oração. Testifique sua decisão não pelo fato de merecimento, mas pelo fato de ter que fazer isso por amor ao seu adversário. Por exemplo: Deus, perdoe-me por ainda ter essa coisa arraigada em mim e peço Sua força pois não consigo amar meu adversário que no caso é meu (ex:) "pai". Ele fez isso e aquilo comigo e hoje tomo a decisão de amar meu inimigo no momento. Quero sentar na mesa do meu inimigo e baquetear aquilo que o Senhor preparou para nós. A ferida está aqui mas tomo essa decisão pedindo a sua cura. Não espero nada em troca dele. Deus, se não espero nada em troca, não vou me iludir que ele irá mudar como quero, então eu peço graça para amá-lo do jeito que ele está, mesmo que continue para sempre assim. Se ele vier a mudar, é graça superabundante Sua, pois não espero isso mais. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a minha Rocha, que oro. Amém.

3- Sendo curado pelo confessar.
Tiago 5:16 diz"16 Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua atuação."
Alguem sabendo da sua decisão e das coisas que passam no seu coração, ajudará no dividir da carga. Alguem saberá da sua decisão e criará uma certa tranquilidade ao saber que não terá que tomar repetidas vezes a mesma decisão. Decisão é decisão. Não se volta atrás mais. As coisa ficaram para trás.

4- Atitudes pelo adversário.
Depois de reconhecer a falta, ter tomado a decisão de perdoar seu inimigo pelo simples fato de perdoar e ter alguem andando com você, é necessário de fazer algumas coisas que a primeiro modo será quase impossivel mas você conseguirá. Hora de demonstrar o real amor que Jesus diz em Mateus. Hora de chegar ao seu inimigo familiar e dizer: eu te amo. Sei que você irá pensar que não sente nada pela pessoa, apenas raiva, pórém você vai entender o que é o real e profundo amor de Deus. Amar por simples decisão, não esperando nada em troca o qual é isso que estamos vendo desde o começo desse artigo. Surpreenda, diga palavras doces, abraçe, faça coisas pelo simples fato que você decidiu fazer. Pois fazer as coisas quando a pessoa é incapaz de devolver é o de maior valor.

5- Final de Cura.
Depois desses difíceis passos e de começar a tomar essas atitudes, algo irá mudar. Muitas vezes não a pessoa, mas você. Você vai estar fazendo coisas pelo simples fato de decidir fazer e manter isso vai ser uma tarefa árdua. Ter idéias todo dia demandará energia. E esse exercício manterá você em forma para amar. Manter nosso coração cheio de amor é quase uma disciplina e exercitando isso te levará longe. Um dia quem sabe, seu relacionamento com a pessoa mude. Ela será constrangida pelo jeito que você a trata. Pode-se demorar anos ou dias ou mesmo nunca acontecer, porém você será exercitado maravilhosamente. E se um dia a mudança acontecer é hora de gloficar a Deus de uma forma maravilhosa. Mostre as faltas que você tinha e escreveu, não como algo a jogar na cara da pessoa (se você estiver guardando isso para esse fim, é melhor que você jogue fora depois de compartilhar com a pessoa que você confessou), mas para dizer o quanto Deus foi fiel nesse tempo todo te enchendo de amor e energia para amar.

Leonel Igarashi

2 comentários:

Dani disse...

Querido amigo,
Conforme fui lendo o seu texto "Amor aos inimigos familiares" fui fazendo uma auto-reflexão.Emocione-me muito.
Perdoar é essencial para vivermos em paz com nosso interior.
Continue escrevendo coisas tão belas como estas.
Um forte abraço,
Dani. :D

Camilla disse...

Muito bom o texto! Essa semana eu estava me perguntando, pq conseguimos ser tão cruéis com as pessoas a quem mais amamos e ao mesmo tempo conseguimos ser tão gentis com aquelas que mal conhecemos? O que nos leva a vestir máscaras que não mostram nosso verdadeiro rosto? Por que veneramos tanto o relacionamento superficial com o desconhecido e evitamos tantas vezes as "feridas leais feitas por aquele que ama (Pv 27:6)"? É porque muitas vezes preferimos o caminho fácil do bar ou do teclado ao invés de enfrentarmos a nós mesmos, com nossas mazelas e fraquezas, com nosso mau-humor e intolerância, com nosso egoísmo e arrogância. Preferimos a superficialidade que não nos cobra mudança de atitude, que não aponta nossos erros, que não se atrita conosco para eliminar as saliências nefastas do nosso caráter.

Estou certa de que é por isso que Deus exige a mutualidade. Aqueles versículos que falam sobre "uns aos outros", "uns com os outros". Uma igreja não é um bar nem uma sala de bate-papo. É lugar de vidas que se entrelaçam, que se unem vitalmente. Desse amálgama deve surgir alguém melhor do era quando entrou..

Ain, desabafo aqui? Mas com vc, eu posso né? rs
Q Deus continue a falar poderosamente contigo!

Beijus!!